Dicas para Estratégia das Marcas

A instauração da democracia na Grécia Antiga estimulou a retórica no debate político e social para influenciar juízes e até mesmo o povo. Aqueles que queriam se dedicar a carreira política passaram a estudar a arte do discurso. Foi logo em seguida, no século IV a.C. que Aristóteles lançou a primeira obra sobre o tema: Retórica.

O tema continua sendo atual. A arte da persuasão permite que o autor se comunique com eloquência e induz ao convencimento da ideia. Ou seja, é ponto chave para a apresentação de um planejamento ou até mesmo de uma campanha. A apresentação da ideia pode ser tão importante quanto a ideia em si.

Durante a Idade Média a retórica era ensinada nas universidades. Hoje, é comum achar que alguns profissionais têm o dom da oratória, mas na verdade trata-se de uma prática que pode ser aperfeiçoada. Para quem costuma conduzir apresentações ou mesmo construir textos de defesa é essencial se desenvolver na arte de sustentar argumentos.

É verdade que para alguns profissionais é mais fácil defender ideias e se apresentar em público, mas mesmo eles utilizam-se de algumas técnicas que ajudam a envolver a plateia e que podem ser aplicadas por qualquer um.

Confira algumas dicas para se desenvolver na arte da persuasão.

Conteúdo: esse é o primeiro passo e o mais fundamental de todos. Conhecer com profundidade o tema que será apresentado é essencial para ganhar confiança e convencer a plateia que ela deve lhe dedicar atenção. Ter domínio do assunto garante segurança na apresentação e argumentos para qualquer dúvida que surja. Mas para isso não tem segredo: estudar e se dedicar ao conteúdo é indispensável.
Trazer boas referências e fontes confiáveis também ajuda a ganhar a confiança do interlocutor. Por outro lado, é preciso tomar cuidado com os falsos argumentos. Informações sem veracidade quebram o discurso e comprometem a credibilidade.

Público: entender quem é seu interlocutor é fundamental para ajustar o discurso. Uma plateia extremamente técnica irá exigir um grau de aprofundamento maior. Já para aqueles que conhecem o tema com superficialidade é necessário trazer explicações mais básicas para não criar um distanciamento e gerar desinteresse. A dica básica é: coloque-se no lugar do outro e pergunte-se “tendo as informações que ele tem qual caminho deve percorrer para entender a ideia que quero passar?”.

Cadência: aqui entra a lógica do discurso. A estrutura da argumentação deve fazer sentido e cada ideia deve engatar na outra numa sequência que leva a uma conclusão natural. Muitos profissionais têm conhecimento profundo sobre determinado assunto, mas na hora de expor suas ideias não conseguem apresenta-las com clareza, criando uma confusão mental que depõe contra sua qualificação. Por isso, criar uma sequência lógica é essencial para o entendimento da mensagem que se quer passar.

Linguagem corporal: tom de voz firme, presença de palco e o gestual ajudam a passar credibilidade. Por isso, fique atento a todos os pontos que possam contar contra e treine antes de fazer uma apresentação para que se sinta seguro na hora H.

E treinar é sempre uma boa ideia. Mesmo tendo domínio do assunto é importante praticar para identificar os pontos frágeis, o tempo, a ênfase nos argumentos mais importantes. Um bom discurso não surge do improviso. Ele é fruto de muito treinamento.

Se quiser saber mais sobre o assunto vale ler o livro You Talkin’To Me? Rhetoric From Aristotle to Obama de Sam Leith.

Designed by Freepik

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inbound Marketing parte 2: como planejar os principais passos

O último texto abordou as etapas do funil de vendas e como a marca deve atuar em cada passo da jornada do consumidor. Mas o que é importante na hora de construir uma estratégia de Inbound Marketing? Esse modelo tem inúmeras vantagens e antes de implantá-lo é preciso planejar alguns passos.

Inbound Marketing Parte 1: As Etapas do Funil

Muito se tem falado sobre Inbound Marketing nos últimos tempos. A estratégia, que é a queridinha da vez, garante resultados por meio de esforços mais focados. Enquanto as ações tradicionais de marketing podem parecer intrusivas, o Inbound empodera o consumidor e torna a marca disponível para que ele feche negócio no momento em que estiver pronto.