Dicas para Estratégia das Marcas

A escolha da rede social

O meio digital trouxe uma diversidade de redes sociais, cada uma com uma proposta, mas com o mesmo objetivo: unir pessoas. Mas, como escolher a rede social?

A primeira questão que se deve avaliar é tão simples que parece óbvia: esteja aonde o seu público-alvo estiver. Nesse caso, se o seu público é B2B, por exemplo, é interessante você considerar o Linkedin.
Mas vamos às principais questões que devem ser consideradas sobre as redes sociais:

Snapchat
É a vida como ela é, sem filtros e produções. A funcionalidade do app, que apaga os vídeos após 24h, permite que o usuário poste situações das quais não quer deixar para a posterioridade. Os vídeos de 10 segundos também incentivam a criação de histórias. Aliás, esse é um dos formatos mais usados pelas marcas. Mas elas precisam ser autênticas, o Snapchat é o espaço aonde as pessoas são elas mesmas, então as marcas também têm que ser.
A rede social é bastante usada para cobertura de eventos, promoções rápidas, making of e lançamentos.

Instagram
A imagem é o principal recurso dessa rede que transformou cada usuário num fotógrafo profissional. Aqui, diferente do Snapchat, há a preocupação com a produção da foto (ou vídeo), mesmo que ela pareça autêntica.
O Instagram é ideal para mostrar life style e ajudar no aspiracional da marca. Mesmo sem apresentar o produto é possível tangibilizar o que ele pode fazer pelo consumidor.
As imagens simples, mas criativas, que mostram uma perspectiva diferente costumam fazer bastante sucesso.

Facebook
É a rede social onde todo mundo está presente. As pessoas já se acostumaram a checar o facebook para conferir as novidades. É a rede mais versátil e que provavelmente irá atingir o maior número de pessoas.
A moderação dos posts permite iniciar uma conversa com os usuários. É a oportunidade de fazer parte da jornada do consumidor, que começa muito antes de visitar o PDV, e influenciar de forma positiva a sua escolha.
Ideal para expor a marca para um grande número de pessoas, já que ela é líder de audiência. Só não esqueça que sem patrocinar os posts o alcance cai vertiginosamente!

Twitter
O twitter é a rede social de quem quer se manter informado. Com mensagens curtas e linguagem descontraída é ideal para trazer updates da marca em tempo real, além de monitorar o que os usuários estão dizendo sobre ela.
As postagens são uma oportunidade de interação com o público. Devem ser objetivas e respeitar a dinâmica da rede. É interessante o uso de hashtags para que seja ainda mais fácil mensurar o engajamento do tweet.

Pinterest
A rede permite que as marcas se conectem com usuários que expõem, espontaneamente, seus interesses. É um grande banco de imagens inspiracionais e com visual impecável.
Marcas que querem se posicionar como lançadoras de tendências e passar estilo e moda têm no Pinterest uma ótima plataforma de conteúdo.

Youtube
Uma coisa é certa: o consumo de vídeos não para de crescer. E o Youtube funciona como uma grande biblioteca que concentra os vídeos da marca.
A combinação de som e imagem permite vender um conteúdo com muito mais riqueza e construir um storytelling da marca, que pode ser replicado em várias outras plataformas.

Linkedin
É a maior rede profissional do mundo e a melhor para atingir o público B2B. Permite tratar conteúdos com mais profundidade e criar grupos de discussão para tópicos específicos.
Bastante utilizada também para divulgar vagas e o perfil institucional da empresa.

Cada rede social tem o seu papel na estratégia digital da marca. Mas, é importante lembrar, que o consumidor acessa vários canais da marca, ele não está presente em um só lugar. Então, não esqueça: o conteúdo deve estar integrado e ajudar a contar quem é a marca em todos aos pontos de contato.

 

Crédito da imagem: https://goo.gl/b7cE8D

Designed by Freepik

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bate papo sobre estratégias digitais

Confira o bate papo sobre marketing digital e tecnologia no programa Instante Digital da Band.

As principais tendências para Mídias Sociais

As mídias sociais são um dos segmentos mais dinâmicos do mercado. Desde o finado Orkut muitas propostas surgiram tentando angariar usuários. Algumas não conseguiram acompanhar os movimentos do mercado e expectativas do público, mas outras permanecem com legiões de seguidores e não param de se reinventar.