Dicas para Estratégia das Marcas

Cobertura do 100º evento da DMA

Entre os dias 8 e 10 de outubro tive a oportunidade de participar do &Then, em New Orleans, representando a HouseCricket. O 100º evento promovido pela DMA celebrou o dado como o recurso mais valioso das organizações para a geração de ações de marketing. A tecnologia esteve presente em todas as discussões provando que veio para somar e trazer um ritmo bastante acelerado para a comunicação. Confira os principais insights do evento.

 

Realidade virtual e Realidade Aumentada

A realidade virtual e a realidade aumentada estão ganhando cada vez mais espaço na vida das pessoas.

Para ajudar na jornada do seu cliente, a American Airlines apostou num app de RA que guia o passageiro para encontrar o portão de embarque em grandes aeroportos. O app identifica a localização do cliente e apresenta a trajetória a ser percorrida por meio da câmera do smartphone.

app-aa

App American Airlines

A tecnologia também irá impulsionar as vendas. Estima-se que em 2020, 100 milhões de consumidores vão comprar via realidade aumentada.

A realidade virtual também vem apresentando grande potencial para o varejo. O e-commerce Alibaba promoveu uma ação com a tecnologia para o Dia do Solteiro na China. Os consumidores podiam fazer compras num ambiente totalmente virtual que simulava uma grande loja do varejo. Foram vendidos 150 mil cardboards para que os clientes usarem na ação e, em uma semana, 8 milhões de pessoas interagiram no ambiente virtual.

E para promover relações sociais em um ambiente totalmente virtual, o Facebook lançou, em abril, o Spaces, uma plataforma social em realidade virtual que pode ser explorada com Óculos Rift com Touch. Nela, o usuário pode ser transportado para novos lugares, criar objetos em 3D, fazer videocall com os amigos, compartilhar selfies no facebook, além de poder adicionar fotos e vídeos próprios para personalizar ainda mais a ferramenta.

 

Programas de Fidelidade

Parece que uma nova Era para os programas de fidelidade está chegando. Há alguns anos, a Walgreens apresentou seu programa com acúmulo de pontos baseado não apenas em compras, mas também no comportamento do participante.

Durante o evento da DMA foi a vez da seguradora neozeolandeza Sovereign apresentar o seu programa de fidelidade baseado exclusivamente no comportamento do participante. Essa estratégia foi adotada pela empresa como resposta ao grande número de reivindicações de uso do seguro saúde. Assim, os usuários eram estimulados a ter uma vida mais saudável.

Para o desenho do programa, a Sovereign utilizou a Nudge Theory ou Teoria do Empurrãozinho que sugere que o reforço positivo e sugestões indiretas influenciam a decisão de grupos e indivíduos. Para contar como um empurrãozinho a intervenção deve ser fácil e barata. Assim, passar a consumir fruta conta pontos no programa, mas deixar de comer junk food não.

O participante acumula pontos que podem ser trocados por benefícios como vale massagem, frutas e vegetais ou aulas com personal trainer. A categoria mais alta permite cashback para o contrato do próximo ano.

Como resultado, o programa alcançou 70% de adesão dos clientes nos 4 primeiros meses, além de 53% de aumento nas vendas de seguro de saúde.

 

Criatividade

Esse ano, o evento da DMA prometia trazer como temática a criatividade. E no meio de várias discussões sobre tecnologia e dados alguns palestrantes trouxeram bons insights sobre o tema.

Dados e criatividade não podem mais estar em lados opostos. Mas, no meio de uma quantidade excessiva de informações disponíveis, a palavra de ordem é simplificar, trabalhando com insights que sejam realmente relevantes para a criação da campanha.

Alan Schulman apontou 3 fatores que toda campanha dirigida criativa e realmente boa possui:
1. Personalização: é responsável por trazer 24% mais engajamento e 9% mais conversão.
2. Relevância em tempo real: oferecer conteúdo personalizado no momento certo funciona 3 vezes mais que a comunicação convencional.
3. Emoção: a neurociência já provou que as decisões de compra acabam sendo emocionais.

Schulman citou ainda David Ogilvy para reforçar a importância do uso de dados na criação de campanhas: “Publicitários que ignoram pesquisa e dados são tão perigosos quanto generais que ignoram os sinais do inimigo.”

 

Personalização

A personalização está alcançando um novo nível. Os consumidores esperam não apenas uma comunicação personalizada, mas também um produto personalizado para as suas necessidades.

Personalização M&Ms

A M&Ms é uma das marcas que entendeu essa necessidade e passou a oferecer um site aonde é possível personalizar o produto com sua foto.

 

Real time

O momento da verdade acontece quando o consumidor encontra com a marca. E nesse momento ela deve estar disponível para oferecer o que o consumidor está buscando. Para isso, precisamos contar com a tecnologia.

Sistemas cognitivos conseguem fazer a análise de uma grande quantidade de dados e entregar insights prontos para a criação de ações e campanhas. A inteligência artificial está ajudando cada vez mais as marcas a tomarem decisões em tempo real para melhorar a performance das campanhas.

 

Privacidade

A grande quantidade de informações disponíveis dos consumidores leva, inevitavelmente, a discussão da privacidade de dados.

Entretanto, o que se tem observado é que as pessoas dizem que não querem ter sua privacidade invadida, mas ficam felizes quando recebem serviços personalizados baseados no uso de dados. Informações sobre o tempo, trânsito, transações bancárias, ofertas e conteúdo são bem recebidas pelo consumidor, desde que sejam relevantes.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As principais tendências para Mídias Sociais

As mídias sociais são um dos segmentos mais dinâmicos do mercado. Desde o finado Orkut muitas propostas surgiram tentando angariar usuários. Algumas não conseguiram acompanhar os movimentos do mercado e expectativas do público, mas outras permanecem com legiões de seguidores e não param de se reinventar.

Como aproveitar os dados gerados pelo consumidor

Todos os profissionais que trabalham com foco em melhorar a experiência do consumidor já entenderam: é preciso aproveitar os dados coletados em cada touchpoint da marca para entregar um produto ou serviço cada vez mais personalizado. Isso garante uma melhor experiência, que por consequência pode levar a fidelidade do consumidor.