Dicas para Estratégia das Marcas

Como definir palavras-chave

Estar nos primeiros resultados do Google é o objetivo de toda marca. O buscador é um verdadeiro portal para o mundo web, onde acontecem, diariamente 3,5 bilhões de buscas. Mas estar nesse seleto grupo só é possível de duas formas: com anúncios pagos (Google Ads) ou com uma boa estratégia de SEO. As duas formas exigem um planejamento de palavras-chave. Também conhecidas como “keywords” elas são a forma como o usuário vai encontrar o site da marca.

Definir as palavras-chave ideais para uma marca parece uma tarefa simples, mas é um trabalho árduo. Chegar nas palavras-chave certas é um exercício bastante estratégico, já que elas traduzem quem a empresa é, como quer ser conhecida, quais seus produtos prioritários e qual nicho ela quer atingir. Ou seja, elas são uma tradução do planejamento estratégico da empresa, pensadas do ponto de vista do consumidor (como ele faz a busca pela internet) e de forma bastante concisa.

Long Tail ou Short Tail?

As palavras-chave são consideradas short tail quando são termos mais abrangentes e genéricos. Já as long tails são as palavras-chave com termos mais específicos. Short tails colaboram para dar visibilidade e atrair mais audiência, enquanto as long tails atraem um público de nicho e têm mais potencial de conversão.

É importante trabalhar com os dois formatos, já que eles se complementam com objetivos diferentes. Porém, os termos mais específicos geralmente são mais baratos (tem um CPC – custo por clique – mais baixo) enquanto termos mais genéricos tem grande concorrência, tornando seu investimento mais alto.

Como escolher as palavras-chave?

As empresas que já têm seu modelo de negócios definido, seu portfólio de produtos estruturado e seu target determinado têm mais clareza de como querem ser encontradas na web. Mas mesmo as empresas que têm uma estratégia clara podem ter dificuldade se atendem um público amplo com um portfólio variado. Se a minha empresa vende apenas orquídeas amarelas raras é fácil determinar a palavra-chave “orquídeas amarelas raras”, mas se ela oferece diversos produtos em jardinagem é mais difícil determinar quais palavras-chave poderiam ser pesquisadas pelo público. Nesse último caso, é importante testar alguns termos para entender como o público se comporta, se esses termos atraem visitas para o site e se geram conversões.

Termos muito específicos podem limitar o público e as buscas. Já termos muito genéricos podem atrair um público que busca por outro conteúdo e não vai ser atendido pelo seu negócio, além de terem um CPC mais alto. Imagine a quantidade de resultados para a palavra “celular” (não precisa imaginar, são mais de 780 milhões). É muito difícil estar na primeira página do Google com uma palavra tão genérica, né? Por outro lado, termos amplos como “celular” têm maior potencial de alcance, já que podem ser mostrados em pesquisas específicas nesse termo ou suas variações como “celular barato”, “novo celular” e “promoção de celular”. Ou seja, é uma quantidade maior de usuários que está fazendo buscas com palavras assim. Portanto, o maior desafio é entender bem o seu negócio e como a marca quer ser conhecida.

O Planejador de Palavras-Chave do Google

Para ajudar na tarefa de encontrar os termos ideais o Google Ads oferece uma ferramenta chamada Planejador de palavras-chave. Ele sugere as keywords com base em termos relevantes para a sua campanha, mostra o volume de pesquisas e o CPC para cada termo. A ferramenta também mostra a previsão de tráfego para um determinado orçamento, ajudando a entender o desempenho da campanha.

Na hora de criar anúncios pagos no Google Ads é possível usar vários termos por grupo de anúncio. O Google recomenda até 20 termos. Mas se você está trabalhando numa estratégia de SEO para que o site seja melhor ranqueado esse é o número médio de palavras-chave que devem ser usadas para todo o site. Uma quantidade muito grande pode fazer o site perder a força e o Google não entender seu conteúdo. Ou seja, é preciso ser assertivo para determinar como a marca vai ser encontrada. É claro que termos similares podem e devem ser usados, mas eles devem orbitar a mesma temática já definida.

Não esqueça de avaliar o site

Fazer um bom planejamento de palavras-chave é fundamental. Porém, é importante levar outros fatores em consideração, como o destino que o público vai chegar ao clicar no anúncio. A palavra-chave corresponde ao conteúdo que o usuário está buscando? Se o conteúdo não corresponder é provável que o usuário perca o interesse e saia da página rapidamente. Além de não engajar o público essa prática piora o ranqueamento do site nos motores de busca, pois eles entendem que o conteúdo não é relevante para o usuário. As palavras-chaves correspondem aos termos que os clientes usariam para encontrar seu produto? Se não, elas precisam ser revistas.

O planejamento de keywords precisa considerar os objetivos da empresa, o público que será atraído e também o conteúdo do site, do contrário irá gerar apenas tráfego, sem despertar o interesse ou levar à conversão. Por isso, esse assunto deve ser prioritário no planejamento digital da empresa. Algumas ferramentas também podem ajudar nessa missão:

Google Trends: avalia a tendência de busca por uma palavra-chave. É possível personalizar o período, além de escolher por país ou fazer a busca mundial. Permite fazer a comparação com outros termos. Essa ferramenta é bem interessante para avaliar se um termo vem ganhando mais buscas pela web, além de identificar alguns padrões, como a sazonalidade na busca de uma determinada palavra-chave.

Google Search Console: é a ferramenta do Google que mostra como ele lê um determinado site. Mostra quais palavras-chave estão sendo usadas pelo público que chegam ao site, quais são as páginas que estão atraindo mais visitas por meio desses termos e identifica várias melhorias que podem ser feitas para que o site tenha melhor indexação pelo Google.

Google Ads: é a plataforma do google para criar anúncios. Ela oferece o Planejador de palavras-chave, que traz todos os recursos mencionados nesse artigo: sugestão de termos relacionados ao seu negócio, frequência com que são exibidos, CPC, sugestão de orçamento, entre outros.

Answer the Public: essa ferramenta traz sugestões de palavras-chave a partir de um termo. Ela também separa por tipo de perguntas (por que, quem, onde) ajudando a trazer ainda mais insights.

Keyword Tool: também sugere termos relacionados a uma palavra-chave. Tem versão paga, mas a versão gratuita já ajuda a trazer alguns insights, mostra o volume de pesquisa, o CPC e se a palavra tem alta ou baixa competição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inbound Marketing Final: 4 dicas práticas

Os últimos dois textos abordaram as etapas do funil de vendas e como planejar os principais passos de ações de Inbound Marketing. Agora, vamos trazer algumas dicas práticas para fazer a gestão dessas ações.

Inbound Marketing parte 2: como planejar os principais passos

O último texto abordou as etapas do funil de vendas e como a marca deve atuar em cada passo da jornada do consumidor. Mas o que é importante na hora de construir uma estratégia de Inbound Marketing? Esse modelo tem inúmeras vantagens e antes de implantá-lo é preciso planejar alguns passos.