Dicas para Estratégia das Marcas

Concurso cultural? É melhor você ler isso primeiro.

Teve um tempo em que os concursos culturais viraram febre entre as marcas que queriam promover uma ação com ganhador sem precisar passar pelo processo (e pelos custos!) da Caixa Econômica Federal.

Mas, desde a publicação da Portaria 422, em 2013, as regras ficaram mais claras e também um pouco mais rígidas.

Por isso, antes de propor um concurso cultural no planejamento, fique atento para o que descaracteriza um concurso:

_Escolha do ganhador por sorte ou desempenho: sempre vai exigir autorização via CEF

_Divulgação do nome da empresa: concursos culturais não permitem que o nome da empresa promotora apareça no título da promoção, na mecânica ou mesmo na chamada. A empresa só pode aparecer nos materiais de divulgação como promotora.

_Prêmio com produto da empresa promotora

_Associação a datas comemorativas, como Natal ou Dia das Mães

_Necessidade de comprar o produto da empresa promotora para participar da ação

_Exigência do participante fornecer um número exagerado de dados para participar

_Aconteça nas redes sociais: elas só podem ser usadas para divulgação, mas o concurso deve acontecer numa plataforma externa, como uma landing page

É por isso que quase não se houve mais falar de concurso cultural. Então, se estiver planejando uma ação para promover a marca que resulte em um ganhador é melhor considerar a autorização via CEF que demora, em média, uns 45 dias. Mas, isso não deve ser motivo para desanimar, afinal planejamento é para isso mesmo, prever com antecedência para evitar surpresas na execução.

Quer conhecer a portaria? Veja aqui: https://www.fazenda.gov.br/acesso-a-informacao/institucional/legislacao/2013/portaria-no.-422-de-18-de-julho-de-2013

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por que as comunidades são importantes para as marcas?

Em fevereiro de 2017, o Facebook lançou um manifesto expressando seu desejo de “fortalecer nosso tecido social e fazer o mundo ficar unido”. Desde então, a plataforma tem redobrado esforços para criar e cultivar comunidades, sugerindo que seus usuários participem de diversos grupos de acordo com seus interesses. A recomendação não se restringe apenas ao ambiente on, mas ganhou a TV aberta com comerciais que trazem exemplos de como as pessoas podem se conectar às outras, com interesses similares, por meio do canal social.

Como definir palavras-chave

Estar nos primeiros resultados do Google é o objetivo de toda marca. O buscador é um verdadeiro portal para o mundo web, onde acontecem, diariamente 3,5 bilhões de buscas. Mas estar nesse seleto grupo só é possível de duas formas: com anúncios pagos (Google Ads) ou com uma boa estratégia de SEO. As duas formas exigem um planejamento de palavras-chave. Também conhecidas como “keywords” elas são a forma como o usuário vai encontrar o site da marca.